ISO - 7 - Realização do Produto

Postado por Mauricio Dorneles


7.1 – Planejamento da realização do Produto

Ao planejar a realização do produto, a organização deve determinar o seguinte, quando apropriado:

a) objetivos da qualidade e requisitos para o produto;

Aqui se encaixam as especificações definidas pela organização para o produto e as do cliente, que devem ser comparadas para verificar se há algum conflito técnico ou outro tipo de divergências. Elas devem ser resolvidas antes do início da produção.

b) a necessidade de estabelecer processos e documentos e prover recursos específicos para o produto;

É importante que esteja claro para o planejamento quais as etapas de produção do produto, quem são os responsáveis, quais os processos envolvidos… E mais importante ainda: há disponibilidade de todos os recursos necessários, financeiros, técnicos, produtivos, para cada etapa?

c) verificação, validação, monitoramento, inspeção e atividades de ensaios requeridos, específicos para o produto, bem como os critérios para a aceitação do produto;

Esta é a parte do Controle da Qualidade. Ele pode ser executado na forma de auto-controle (quem faz verifica) ou ter uma equipe que acompanha as fases importantes do processo produtivo. Isto vai depender da estrutura da organização, do nível de complexidade do produto, da necessidade de aplicar pessoal qualificado nas inspeções, etc.

d) registros necessários para fornecer evidência de que os processos de realização e o produto resultante atendem aos requisitos (ver 4.2.4).

É muito importante que o processo possa ser rastreado do início ao fim, numa espécie de reconstituição. Por isso a exigência de registros documentados. São esses registros que possibilitam, por exemplo, um recall aplicado em veículos.

A saída deste planejamento deve ser de forma adequada ao método de operação da organização.

Um documento que especifica os processos do sistema de gestão da qualidade (incluindo processos de realização do produto) e os recursos a serem aplicados a um produto, empreendimento ou contrato específico, pode ser referenciado como um Plano da Qualidade. Existem organizações que desenvolvem um cronograma para cada Ordem de Produção. Considero essa uma ferramenta mais ampla que o Plano da Qualidade. Logicamente o uso de cronogramas só é possível se existir um excelente conhecimento e controle dos processos, e se a forma como a produção é organizada permitir. Quando utilizado, ele ainda trás a vantagem de permitir um indicador de eficiência para cada atendimento, então convém avaliar sua aplicação no seu processo.

A organização também pode aplicar os requisitos apresentados em 7.3 no desenvolvimento dos processos de realização do produto.

Um bom planejamento da produção já é grande parte da eliminação de problemas possíveis na realização de um produto. É tão importante que pode influenciar (e melhorar) até a lucratividade do seu processo, a credibilidade da organização e a satisfação dos clientes.
 
Até a próxima!